Conheça a história da culinária árabe e como ela chegou ao Brasil

Foto mostra tabule, tradicional prato da culinária árabe, servido em ramequim da Vemplast

Você sabia que o nosso hábito de consumo de produtos à base de iogurte e temperos frescos como hortelã e salsinha é influência da culinária árabe? No século XIX, a imigração de povos do Oriente Médio para o Brasil, trouxe com eles uma rica herança cultural, que ao longo dos anos se tornou presente de diversas formas, inclusive, na mesa dos brasileiros. 

O que chamamos, popularmente, de culinária árabe, representa, na verdade, a cultura gastronômica de diversos países como Egito, Iraque, Líbia, Marrocos e Síria. Os primeiros imigrantes a chegar ao nosso país vieram, em grande parte, da Síria e do Líbano, sendo que, hoje, apenas os descendentes libaneses somam cerca de 10 milhões de pessoas vivendo aqui. 

A cozinha desses povos tem como traço principal o sabor marcante e diferenciado das especiarias, além, claro, da diversidade de ingredientes. 

Neste artigo, além de falar da chegada dessa rica cultura ao nosso país, vamos falar sobre a origem desse tipo de culinária  e ainda ensinar uma receita de um prato muito consumido no Brasil.

Origem da culinária árabe

Cevada, trigo, arroz, tâmaras, carne e produtos derivados do leite formaram a base da gastronomia árabe. Com o passar dos anos, as migrações pelo Oriente Médio trouxeram mais diversidade de ingredientes ao cardápio, principalmente, após o povoamento de áreas próximas aos rios Tigre e Eufrates, que possibilitou a pesca, a agricultura e a domesticação de animais. 

A maioria desses ingredientes eram cozidos em água, misturados em gordura e assados na brasa ou no vapor. Para conservá-los era usada uma salmoura com sal e azeite. Essa grande variedade de alimentos servidos à mesa representa na cultura deles, assim como na brasileira, um gesto de hospitalidade. 

Pratos típicos da culinária árabe

A gastronomia árabe tem não apenas uma grande variedade de ingredientes, mas também uma diversidade enorme de pratos típicos, que vão muito além do famoso quibe ou da esfiha. Listamos alguns desses pratos:

  • tabule – salada feita com trigo para quibe, ervas, cebola, tomate e condimentos;
  • charuto – prato feito com folhas de repolho normalmente recheadas com carne;
  • falafel – salgadinho frito de grão-de-bico;
  • kafta – bolinhas feitas de carne de cordeiro ou vaca temperadas. Pode ser assada como um espetinho ou no forno; 
  • hummus – pasta de grão-de-bico e tahine;
  • baklava – sobremesa em formato de triangular feita com massa de phylo e recheada com frutas secas, calda e mel.

Essa gastronomia tão rica ganhou espaço também no fast food e há diversos restaurantes voltados para ela no nosso país.

Receita de Falafel 

E para você fazer uma receita típica da gastronomia do Oriente Médio, separamos uma receita de falafel:

Ingredientes

  • 2 copos de grão de bico cru
  • 6 dentes de alho amassados
  • 2 colheres de chá de bicarbonato de sódio
  • 1 copo de coentro picado
  • 1 copo de salsa picada
  • 1/2 cebola média picada
  • 1 colher sopa de cominho
  • 1 colher de chá de páprica
  • 1 colher de sopa de pimenta síria
  • sal a gosto
  • óleo para fritar
  • 1/5 copo de farinha de trigo 

Modo de preparo

Lave bem os grãos crus, em seguida, deixe-os de molho, por cerca de oito horas. Após esse tempo, lave-os novamente. Bata todos os ingredientes no processador até chegar a uma textura úmida e áspera. Coloque mais água e farinha, caso a massa fique sem liga. Depois desse processo, deixe na geladeira por uma hora.

Para moldar os bolinhos, umedeça as mãos e enrole a massa. Em seguida, é só fritar em fogo médio para alto, por cerca de cinco a dez minutos. A gordura deve cobrir totalmente o bolinho. Aí, é só servir em nossos bowls, sopeiras e ramequins. Eles são ideais para servir petiscos como esse. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *